quarta-feira, 6 de julho de 2011

ESTIMULAÇÃO PRECOCE


A estimulação precoce é um conjunto de atividades que baseado nas vivências diárias das crianças envolvidas favorecem o desenvolvimento infantil de forma consistente e integral.
*Por Nayara Barrocal

O desenvolvimento humano decorre dos fatores genéticos, bem como da interferência da pessoa com o meio ambiente do qual faz parte e de seus componentes. Isso, mostra que devemos aproveitar a fase infantil para utilizar a estimulação precoce promovendo o desenvolvimento integral da criança através dos elementos que esta conhece e tem acesso, sabendo identificar as características genéticas de cada um.
Os estímulos por meio das vivências tendo como base os sentidos: visão, audição, paladar, olfato e tato, promoverão para a criança oportunidades de construção de conhecimentos por meio da superação de limites o que construirá consequentemente a memória de aprendizagens.
Mesmo que as crianças envolvidas apresentem alguma necessidade especial, ela deve participar de todo o processo de estimulação precoce, pois as mesmas favorecerão a elas autonomia, independência na medida possível. Porém, é importante lembrar que não terá viabilidade se não houver envolvimento de afetividade das partes envolvidas.
Com base nos estudos desenvolvidos, a estimulação precoce se caracteriza por um conjunto de ações que tem como princípio fundamental oferecer às crianças quanto mais cedo possível, experiências variadas que reflitam na necessidade de cada uma, desde o nascimento, de forma a buscar alternativas que garantam o máximo do seu desenvolvimento pleno e sua integração social.
As experiências ou vivências desenvolvidas focam basicamente nos seguintes aspectos do desenvolvimento humano: físico, sensório-perceptivo, motor, sócio-afetivo, cognitivo e da linguagem.
Basicamente se fundamenta nas teorias com base no desenvolvimento humano de Piaget e Vygotsky. Estes autores são determinantes no conhecimento que nós educadores devemos ter acerca da evolução do homem desde criança.
Piaget define o desenvolvimento como sendo um processo contínuo de trocas entre o ser vivo e o meio ao qual pertence. Ele destaca ainda que as condições e as interações humanas afetam o pensamento e o raciocínio da criança. Portanto, os estímulos revelam sua importância no que diz respeito a tudo o que estiver em contato com as crianças desde a primeira infância, pois estes elementos influenciarão no futuro delas e nesta etapa da vida são muitas e variadas as oportunidades que surgem.
Já Vygotsky, afirma que o desenvolvimento humano se dá através da mediação do adulto e do meio ao qual está inserido. Diante disso, pode-se compreender que o comportamento humano nasce do vínculo criado entre os processos elementares, que são de origem biológica e sócio-cultural.
Já sabendo da base que se fundamenta tal proposta de estimulação precoce, é necessário que se entenda um pouco acerca das diretrizes educacionais que nortearão a realização desta. O MEC, através da CORDE (Coordenadoria para a Integração da Pessoas com Deficiência), estabeleceu algumas diretrizes de acordo com o aspecto educacional. Instituiu-se Programas denominados como Unifocal ( conjunto sistematizado de ações estimulatórias destinadas a incentivar o desenvolvimento eficaz do processo evolutivo) e Multifocal ( se caracteriza por sua interligação com as áreas de educação, assistência sócio-familiar, saúde, incluindo alimentação).
Segundo estudos realizados com base nestes Programas, o Multifocal é mais eficaz pois reflete numa atenção de vários profissionais que analisam suas necessidades especiais e implementam suas ações com base no conhecimentos destas e de suas especificidades.
O atendimento que foca a estimulação precoce deve ser oferecido por uma equipe multidisciplinar, ou seja, formada por profissionais de áreas diferentes, orem que se complementam: pedagogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais, etc.
O trabalho multidisciplinar tem como princípio básico a cooperação entre os profissionais que a compõe, no sentido de compartilhar informações e observações acerca do que cada um sabe referente às crianças atendidas.
Com base nas indicações da CORDE, o que garantirá o sucesso do processo de estimulação precoce são algumas considerações que precisam ser contempladas como:
• Avaliação inicial e periódica pela equipe multidisciplinar acerca do desenvolvimento da criança;
• Acompanhamento pessoal das crianças e familiares por uma assistente social;
• Realização de um plano individual de intervenção, baseado nas observações efetuadas com as crianças;
• Inclusão no planejamento individual de objetivos, metas, atividades, estratégias a serem empregadas e dos materiais e meios a serem utilizados;
• Capacitação dos profissionais envolvidos, bem como orientação e treinamento dos demais mediadores a fim de assegurar a efetividade e continuidade das atividades programadas;
• Participação direta dos familiares nos atendimentos;
• Contatos formais e informais dos pais com os profissionais para o intercâmbio de informações sobre a evolução da criança.

Cabe, nesta perspectiva o atendimento conciliado da criança e família tendo o assistente social como mediador deste procedimento, desenvolvendo atividades no sentido de acompanhar e colaborar para com as condições pessoais e familiares, analisando os precedentes do desenvolvimento infantil, social e educacional destas crianças acompanhadas.
Desta forma, a estimulação precoce ocorre de forma adequada, atendendo às expectativas de desenvolvimento das crianças que apresentam necessidades especiais e devem ser incluídas na escola de forma con

Um comentário:

  1. Quais são os quatro elementos que caracterizem a Estimulação Precoce?

    ResponderExcluir

Para aperfeiçoar nossos fazeres, saberes compartilhe seus conhecimentos!